Infelizmente, estar grávida não é só maravilhas, apesar de ser um momento mágico na vida da mulher, muitos incômodos vem acompanhando a gestação. Além dos enjoos e tonturas, as dores nas costas também atingem as grávidas, entre 50% e 75% delas.

Todas as mudanças que ocorrem no corpo e organismo da mulher são as responsáveis por essas dores. O crescimento do útero deixa os músculos abdominais enfraquecidos, mudando a postura e forçando os nervos e a coluna. Já a alteração hormonal, deixa as articulações e ligamentos mais soltos, instáveis, causando dores ao andar, ficar em pé ou ficar sentada por muito tempo.

Normalmente, essas dores aparecem nos últimos meses e em cada mulher aparece de uma forma:

Dor nas costas – Causada quando os ligamentos, músculos, discos e articulações ficam sobrecarregados, sendo mais comum no final do dia pelo cansaço muscular de ter que sustentar seu peso e o do bebê.

Dor ciática – É provocado por uma inflamação ou pressão, mas não é devido à pressão do bebê sobre o nervo. Quando a grávida sofre com dor no ciático, provavelmente ela sofreria se não estivesse grávida também. Com o funcionamento do nervo prejudicado, a mulher poderá sentir fraqueza ou sensação de formigamento nas pernas, além da dor na base das costas e nas laterais.

Dor pélvica – É uma consequência da gravidez e deve ser tratada com a ajuda de um médico, já que pode ser algo mais sério do que uma simples dor.

Dor por contração – Algumas vezes, as contrações de um parto prematuro são sentidas nas costas, por isso é importante ficar atento se há uma regularidade e procurar o seu médico.

Mas fique tranquila, algumas medidas são capazes de prevenir ou aliviar essas dores, veja quais:

Abaixe-se corretamente – Quando precisar abaixar, dobre os joelhos e mantenha a coluna ereta.

Não fique na mesma posição – Intercale durante o dia os momentos em que fica sentada ou em pé. De tempo em tempo, ande um pouco, sente, fique em pé, assim não haverá um cansaço muscular.

Durma confortavelmente – É importante manter a coluna reta até mesmo na hora de dormir, para isso durma de lado e com um travesseiro entre os joelhos e evite ao máximo dormir com a barriga para cima, pois nesta posição, o bebê comprime a veia cava, que transporta o sangue até o feto, além de pressionar os nervos da coluna.

Se exercite – A atividade física fortalece os músculos e melhora a capacidade respiratória, para as gestantes as mais indicadas são as atividades praticadas dentro da água. Mulheres que são ativas fisicamente tendem a sentirem menos dores durante o parto.

Use cinta de sustentação – Alguns médicos recomendam o uso de uma cinta que auxilia na sustentação da barriga, a fim de aliviar a sobrecarga muscular.

Tome banho quente – As dores podem ser aliviadas momentaneamente com água de morna para quente. Se o banho for em uma banheira será ainda melhor, mas como opção também pode utilizar apenas uma compressa de água quente na região que se sente a dor.

Massagem – Mesmo que não seja um profissional da área, as massagens na região lombar são sempre eficazes para aliviar as dores e tensão muscular.