Manter um estilo de vida saudável durante a gravidez é bom tanto para a mãe quanto para o filho. "Bons hábitos ajudam a gerar um bebê livre de doenças, a ter um parto sem complicações e uma recuperação pós-parto mais rápida", afirma Fabiane Sabbag Corrêa, ginecologista e obstetra do Hospital São Luiz Itaim, em São Paulo.

Os primeiros exames na gravidez são o de sangue e o ultrassom abdominal — eles vão revelar as carências nutricionais da mãe e o desenvolvimento inicial do feto. Gestantes costumam ter carência de ácido fólico (vitamina que evita defeitos na formação do cérebro e da espinha do bebê), cálcio e vitamina D (indispensáveis para a saúde óssea e dentária tanto do bebê, quanto da mãe), ferro (protege a mãe contra a anemia, que pode causar parto prematuro e baixa oxigenação e nutrição do feto) e zinco (fundamental para o ganho de peso do bebê). Essas deficiências são repostas por suplementos alimentares e pela alimentação — sem exageros. "É mito aquele ditado de que grávida precisa comer para dois. Ela precisa comer bem, mas não necessariamente muito", diz Fabiane.

Além de garantir os nutrientes necessários para a mãe e para o bebê, seguir uma dieta equilibrada ajuda a não engordar demais. "Mulheres que ao engravidarem estavam com um peso considerado saudável, devem ganhar 5% do seu peso mais seis quilos. Essa conta dá, mais ou menos, dez quilos", diz Alberto d’Auria, ginecologista e obstetra do Hospital e Maternidade Santa Joana, em São Paulo.

O peso adequado protege a gestante das principais doenças que podem aparecer na gravidez: doença hipertensiva específica da gravidez (DHEG) e diabetes gestacional, um quadro de desregulação da insulina que some após o parto.

Enquanto a hipertensão pode causar complicações na vascularização placentária, o diabetes gestacional predispõe o diabetes futuramente na mãe e no bebê. A prática de atividade física, como hidroginástica, ioga e pilates, ajuda a manter o ganho de peso sob controle e a melhorar o bem-estar da gestante, uma vez que diminui as dores nas costas e nas pernas, comuns na gestação.

Gestações planejadas costumam ser mais tranquilas e saudáveis, dizem os médicos. "Ao se preparar física e psicologicamente para essa fase, a mulher afasta a probabilidade de doenças", diz d'Auria.

Fonte: Site Veja