É crescente o número de pessoas que utilizam fones de ouvido para ouvir músicas a partir de aparelhos MP3 ou de outros dispositivos, como computadores e tablets. Consequentemente também é crescente o número de pessoas com problemas auditivos.

Isso porque o ruído, de maneira geral, só é inofensivo a saúde até o limite de 50dB (decibéis) quando exposto por no máximo 8 horas ao dia, limites que normalmente são ultrapassados pelos usuários.

Existem dois tipos de perda auditiva relacionadas a excesso de ruído: Há a perda temporária, que normalmente atinge pessoas que ficam por muito tempo em ambientes fechados ou abertos com elevados níveis de ruído. E há a perda contínua, sem retorno da audição de forma natural, que tem grande chance de atingir os usuários de fones de ouvido que abusam do volume e tempo de uso.

Além dos usuários de fones de ouvido, outros grupos correm grandes riscos de sofrerem problemas auditivos, como os jovens que frequentam casas noturnas e pessoas que trabalham em ambientes ruidosos, onde normalmente a poluição sonora é maior do que a aceitável, e as pessoas permanecem por longas horas nesses locais.

Dentre os sintomas mais comuns do abuso da capacidade auditiva, podemos citar o zumbido, que pode se manifestar como barulho de apito, algo parecido com o canto de uma cigarra, chiado de água, barulho de grilo, barulho de panela de pressão, vibração e zumbido de abelha.

É de extrema importância o cuidado com o volume do que se está ouvindo, o ideal é que ele nunca fique no máximo, ou ao ponto de não se ouvir o que está acontecendo ao seu redor. Lembrando que dependendo do tipo de fone, quando é introduzido no ouvido, o som é amplificado, oferecendo riscos maiores à audição.

A melhor forma de fazer o uso de fones, amenizando os efeitos prejudiciais, é optar por modelos tenham um bom isolamento acústico e sempre utilizar os lados direito e esquerdo simultaneamente. O hábito de escutar apenas por um lado pode causar uma perda auditiva assimétrica, a qual se desenvolve gradativamente.

Os fones não devem ser compartilhados, e cada lado deve ser sempre usado no ouvido correspondente e nunca de forma invertida ou alternadamente. Isso evita a transmissão de possíveis doenças e infecções de um ouvido para o outro e entre pessoas.

Também é de extrema importância lembrar de acondicionar os fones em locais limpos e higienizá-los antes e logo após o uso, de preferência com panos umedecidos em álcool.