É comum vermos pessoas espirrando e tossindo a todo o momento e isso acontece porque grande parte da população sofre com a rinite alérgica que é uma inflamação da mucosa que reviste o nariz, provocada por uma reação alérgica quando em contato com partículas consideradas estranhas pelo organismo, como a poeira, o pólen e alguns alimentos.

O nariz é responsável por filtrar as impurezas contidas no ar que respiramos, porém as pessoas alérgicas, quando em contato com qualquer alérgeno, em uma reação intensa na tentativa de defender o organismo.

Os principais sintomas apresentados por quem sofre com a rinite alérgica são:

  • Irritação no nariz, na boca, nos olhos, na garganta, na pele ou em qualquer outra região;
  • Problemas com odores;
  • Coriza;
  • Espirros;
  • Lacrimejamento nos olhos;
  • Congestão nasal;
  • Tosse;
  • Diminuição da audição e do olfato;
  • Dor de garganta;
  • Olheiras;
  • Fadiga e irritabilidade;

Infelizmente, a rinite alérgica não tem cura, mas pode ser controlada a fim de amenizar as crises alérgicas:

Higiene ambiental: A forma mais simples de evitar a rinite é mantendo os ambientes ventilados para evitar aglomeração de poeira e outras substâncias que possam desencadear uma crise.  Deve-se também evitar produtos de limpeza, tinta, perfume, fumaça de cigarro e inseticidas.

Medicamentos: Pode ser usado antialérgicos, descongestionantes nasais e corticosteróides para melhorar a respiração e amenizar as crises.

Imunoterapia: Para quem não obteve melhora com as medicações, uma alternativa é o uso de vacinas antialérgicas, que têm por objetivo reduzir as crises até o paciente conseguir suspender as medicações.