O título acima define bem o ideal desejável de estética e saúde da boca no contexto contemporâneo das sociedades ocidentais.

Esta situação de saúde dental e gengival é plenamente possível e deve começar a ser trabalhada desde os primeiros anos da infância com as visitas preventivas (à partir dos 6 meses de vida) ao odontopediatra, o que levará a criança a crescer sem cáries, sem grandes problemas ortodônticos e com gengivas e tecidos ósseos de suporte das arcadas dentais firmes e saudáveis.

Quando estes cuidados não forem seguidos na infância e adolescência e danos ao padrão ideal ocorreram, tem-se muitas vezes que lançar mão das diversas técnicas restauradoras existentes no “arsenal” da moderna odontologia reabilitadora interdisciplinar.

Restaurações estéticas invisíveis, técnicas clareadoras surpreendentes, ortodontia com aparelhos imperceptíveis e de resultados em prazos curtos, implantes dentais com carga imediata, cirurgias bucais que modificam toda a estética facial e os tratamentos das gengivas e seus tecidos adjacentes. Este último ponto, – o tratamento das gengivas -, é de importância crucial,embora seja muitas vezes negligenciado. O paciente que trata profissionalmente suas gengivas a cada 4 ou 6 meses , reduzirá muito sua incidência de novas cáries,evitará perda óssea acentuada e consequente retração das gengivas,terá melhor controle da halitose,evitará mobilidade e conseqüente perda dos dentes à médio e longo prazos e poderá conforme indicam pesquisas se prevenir de complicações cardiológicas sérias onde infecções gengivais atuam como fatores contribuintes e agravantes da situação patológica.

Portanto, lembre-se de cuidar das suas gengivas, afinal elas são a moldura à sustentar e valorizar (tornando belo e saudável) ,um sorriso encantador.

Dr. Marcus Werneck
CRO: 3066-PE