O câncer pode atingir qualquer parte do corpo e a boca não está livre, os tumores que atingem a cavidade bucal são mais comuns em homens com mais de 40 anos, porém as mulheres e os mais jovens também podem sofrer com o problema.

Os tumores malignos podem atingir os lábios, o revestimento interno da boca, os dentes, as gengivas, a língua, a parte debaixo da língua, o céu da boca e a região atrás dos dentes do siso. O tabagismo e o consumo excessivo de álcool são os principais fatores de risco para o desenvolvimento do câncer, mas também podem ser provocada por falta de higiene bucal, exposição ao sol sem proteção e alimentação pobres em vitaminas e minerais.

Um agravante do câncer na boca é que nem sempre é possível identificar os primeiros sinais, mas é importante ficar sempre atento a qualquer anomalia na boca e no tempo de cicatrização. Os sintomas variam de acordo com a gravidade do caso, mas quando ainda estão no início do desenvolvimento, os sinais mais comuns são:

  • Feridas na boca que não cicatrizam em uma semana;
  • Manchas vermelhas ou brancas em qualquer parte da região bucal;
  • Feridas superficiais que não doem e que podem ou não sangrar;
  • Irritação, dor na garganta ou uma sensação estranha na região.

Porém, quando a doença está em estágio mais avançado, os sinais são:

  • Dificuldade ou dor ao falar, mastigar e engolir;
  • Surgimento de várias ínguas no pescoço;
  • Dor nos dentes, podendo haver a queda deles;
  • Mau hálito constante;
  • Perda de peso.

Caso qualquer um desses sinais dure mais de 15 dias, procure imediatamente um dentista para verificar qual a causa e se há a possibilidade de ser um câncer, pois o quanto antes a doença for detectada, mais fácil será de tratar.

O tratamento do câncer bucal, assim como em qualquer outra região do corpo é feita com a remoção cirúrgica do tumor podendo ou não haver a necessidade de fazer sessões de quimioterapia ou radioterapia.