Mais da metade dos pacientes diagnosticados com câncer na boca sofrem com má nutrição ou desnutrição, isso ocorre pois há grande dificuldade para mastigar e engolir os alimentos devido as feridas na boca, as dores na garganta, da boca seca, além da falta de apetite e fadiga que normalmente acompanham o tratamento da doença.

Após ser diagnosticado com câncer de boca, muitas dúvidas surgem quanto à rotina alimentar: saber quais alimentos consumir, se há restrições, quais os cuidados no preparo da comida, entre outras. Mas as mudanças devem ser feitas de acordo com os sintomas que estiver sentindo e o cardápio deve variar de acordo com a necessidade de cada um, variando os nutrientes e número de calorias.

O câncer torna mais difícil a mastigação e engolir pode ser doloroso, por isso é comum que os pacientes emagreçam muito, mas para ter uma boa reação ao tratamento, estar bem alimentado é fundamental. Se o corpo estiver desnutrido, terá dificuldades para curar feridas e combater infecções, então é preciso encontrar uma forma de se alimentar e manter a quantidade de calorias e proteínas ideais.

Algumas adaptações na hora de cozinhar são necessárias, como: É recomendado cozinhar os alimentos mais do que o normal e evitar comidas duras e pontiagudas, pois é comum o paciente ter feridas na boca. Já para quem ficou com a boca seca, o ideal é apostar em comidas com molhos, sopas, vitaminas e milkshakes. E o médico só irá sugerir uma alimentação por tubo, caso o paciente tenha muita dificuldade para engolir.

O nutricionista ou médico pode ainda recomendar o uso de suplementos alimentares, sejam em pó ou já pronto para consumo pois algumas vitaminas são essenciais, como as do complexo B e vitamina D, além do mineral zinco e ômega 3, que melhoram o sentido do paladar.