Apenas 1 a cada 5 pessoas que possuem o vírus da AIDS sabem que estão contaminados com a doença, isso porque nem sempre os sintomas aparecem nos primeiros meses e anos e quando aparecem, os sintomas são semelhantes ao da gripe, conhecida por síndrome retroviral aguda e aparecem de 3 a 6  semanas após a contaminação.

Como os sintomas podem ser confundidos com outras doenças é de extrema importância que seja feito o teste de HIV regularmente, caso tenha se exposto a uma situação de risco, como relação sexual desprotegida com um ou mais parceiros ou uso de drogas injetáveis.

No início quando o vírus está se movendo para a corrente sanguínea e se replicando em grande número é comum haver uma reação inflamatória do sistema imune, provocando diversos sintomas facilmente confundidos com os de qualquer outra doença de infecção viral, após essa fase o sistema imunológico fica enfraquecido e o indivíduo fica facilmente exposto a contaminação de outras doenças e infecções, como: tuberculose, pneumonia, candidíase, meningites e outros.

Os sintomas mais comuns são:

  • Febre;
  • Fadiga;
  • Dor muscular, dor nas articulações;
  • Inchaço dos gânglios linfáticos;
  • Dor de garganta e dor de cabeça;
  • Erupção cutânea;
  • Náuseas, vômitos e diarréia;
  • Perda de peso devido ao sistema imunológico estar muito enfraquecido;
  • Tosse seca;
  • Suores noturnos;
  • Alteração no aspecto das unhas;
  • Infecções fúngicas;
  • Confusão mental e dificuldade de concentração;
  • Herpes labial ou genital;
  • Formigamento e fraqueza;
  • Irregularidade menstrual.

O tratamento é feito com o uso de um coquetel de medicamentos que fortalecem o sistema imune e combatem o vírus. Para impedir a evolução da doença é necessário seguir o tratamento corretamente. Lembrando que o coquetel e todos os exames são fornecidos gratuitamente pelo governo.