É muito comum as crianças reclamarem de dores no ouvido, essa dor é chamada de otite, uma infecção que ocorre no ouvido médio, um espaço cheio de ar localizado atrás do tímpano. A dor ocorre devido à inflamação e acúmulo de fluidos no ouvido médio, causando fortes dores.

A inflamação pode occorer pela presença de vírus, bactérias ou fungos e, normalmente, é precedida de uma gripe ou resfriado. Já no verão, com as idas frequentes a praias e piscinas, a água que entra no ouvido também pode provocar uma inflamação.

O sintoma mais comum da otite é a dor de ouvido, mas ela vem acompanhada de outros incômodos, como: febre, líquido espesso saindo do ouvido, perda de apetite, vômito, dor de cabeça, mal humor e até problemas para dormir. Caso o problema tenha sido causado pelo acúmulo de líquido, há outras características: zumbido ou sensação de pressão no ouvido, problemas de audição, falta de equilíbrio e tonturas.

Após detectado a otite, o tratamento deve ser iniciado imediatamente, primeiramente o foco é aliviar a dor, caso o paciente não melhore nos primeiros dias, será necessário a intervenção médica que varia de acordo com a gravidade de cada caso. Podendo ser:

Antibiótico: Se a infecção for bacteriana, provavelmente o médico irá receitar antibióticos para o tratamento, a fim de prevenir complicações mais graves.

Miringotomia: Consiste na drenagem de líquido do ouvido médio, é feito com um pequeno corte na membrana do tímpano e usando um pequeno tubo que deixa entrar ar no ouvido médio, evitando o acúmulo de líquido.

Adenoidectomia: Só é recomendada após a miringotomia e os antibióticos falharem, essa técnica é a remoção da adenoide, ajudando crianças que frequentemente sofrem com a otite ou que tem fluido atrás do tímpano. Porém, essa técnica raramente é feita sozinha.