O número de obesos no mundo tem aumentado a cada dia que passa, consequentemente a busca pela cirurgia bariátrica tem crescido, porém ela é indicada apenas para pacientes com obesidade grau 3.

A cirurgia de obesidade é uma redução do estômago que tem por objetivo reduzir o peso do paciente, principalmente daqueles que têm complicações como apneia do sono, hipertensão arterial, diabetes, aumento de gorduras no sangue, problemas articulares, ou pacientes que não conseguiram perder peso com outros tratamentos.

Após a redução de estômago, os benefícios são evidentes, aumentando o bem-estar e a qualidade de vida, além de proporcionar melhorias na saúde, como:

Hipertensão: A cirurgia bariátrica reduz o esforço no coração e, consequentemente, reduz os níveis de pressão.  Se combinar mudanças alimentares com atividade física, o controle da hipertensão é feito facilmente.

Diabetes tipo II: Com a redução de peso, é reduzida a resistência a insulina e melhora o nível glicêmico.

Dislipidemia: Os lípides fazem parte das placas de gorduras que se formam nas artérias do corpo, provocando problemas vasculares, obstrução de artérias e insuficiência renal. Com a cirurgia, se reduz o nível de colesterol, amenizando o problema da dislipidemia.

Depressão: A obesidade pode provocar problemas emocionais e psicológicos. Dados comprovam que os pacientes que passaram pela cirurgia bariátrica apresentaram melhora significativa nos relacionamentos interpessoais e tiveram o aumento da autoestima.

Osteoartrose: Um desgaste nas articulações do joelho e quadril que provoca dor ao se movimentar, esse problema é ocasionado pelo excesso de peso, portanto com a redução do estômago, a pressão sobre os joelhos diminui, aliviando a dor.

Apenia do sono e problemas respiratórios: A obesidade intensifica o quadro de apneia e aumenta a probabilidade de problemas respiratórios, devido à quantidade de gordura que pressiona os pulmões. A cirurgia reduz a gordura encontrada no aparelho respiratório reduzindo os problemas.

Refluxo Gastroesofágico: O refluxo ocorre pela exposição da mucosa do esôfago ao conteúdo do ácido do estômago. Com a redução de peso, a incidência de refluxo e a quantidade de ácido produzido pelo estômago reduzem, evitando azia, queimação e lesões graves.

Incontinência Urinária: A obesidade em mulheres aumenta a probabilidade de incontinência urinária, pois causa o relaxamento da estrutura do abdômen e da pélvis.