Nos tempos em que vivemos com os padrões de beleza sendo impostos severamente e sendo ele cada vez mais magro, muitas mulheres buscam atingir esse padrão de magreza, porém algumas optam pela ajuda da cirurgia plástica, que assim como qualquer cirurgia apresenta riscos, ainda mais se tratando de uma lipoaspiração, porém o número de mortes na mesa cirúrgica é baixo, segundo dados da Vigilância Sanitária Americana, são esperadas apenas 3 mortes a cada 100 mil cirurgias de lipo.

A lipoaspiração não é para emagrecer, é um método de remoção da gordura localizada que ficam concentradas debaixo dos braços, nos quadris e na região abdominal. Esta gordura dificilmente será eliminada sem a intervenção cirúrgica, mesmo que o paciente seja adepto a prática de exercícios físicos e a dietas.

O Conselho Federal de Medica estipulou um limite de gordura que pode ser retirado, não pode passar de 7% do peso corporal e a cirurgia só deve ser feita por maiores de 18 anos.

Os principais riscos da lipoaspiração são:

Hematomas: Podem ficar manchas escuras na pele que causam dor;

Flacidez: É comum que a região lipoaspirada fique flácida, para corrigir isto, é possível fazer um lifting na área para retirar o excesso de pele;

Irregularidade na pele: A área aspirada pode ficar com pequenas irregularidades devido o uso da cânula;

Trombose venosa profunda: Pode ocorrer perfurações de órgãos e levar até a morte, porém não é tão comum ocorrer.

Alteração da sensibilidade: A cirurgia pode lesionar os nervos periféricos, ocasionando na perda de sensibilidade.

Seroma: Acúmulo de líquidos sob a pele pode ser evitado com o uso da cinta e sessões de drenagem linfática.

A melhor forma de evitar estas complicações é procurar por um profissional de sua confiança que irá tirar todas as suas dúvidas e executar a cirurgia em um ambiente adequado, além de seguir todas as orientações passadas durante o período pré e pós-cirúrgico.