A pílula do dia seguinte funciona como uma bomba hormonal no organismo da mulher, por isso devo ser evitada e usada somente em casos de extrema urgência, como esquecimento da pílula anticoncepcional regular ou rompimento do preservativo.

A fim de evitar uma gravidez indesejada, a pílula do dia seguinte deve ser tomada o mais rápido possível, entre 12 a 72 horas após a relação sexual, lembrando que o quanto antes for tomado, maior será a eficácia do comprimido.

A sua forma de agir no organismo também irá variar de acordo com o período do ciclo menstrual em que a mulher se encontra, podendo: impedir a implantação do óvulo fecundado na parede do útero; inibir ou retardar a ovulação; aumentar a viscosidade do muco vaginal para dificultar a chegada do espermatozoide ao óvulo.

Porém, após algumas horas de ingerir a pílula, algumas reações podem surgir e durar por cerca de dois dias, como:

  • Sangramento;
  • Náuseas e vômitos;
  • Dor de cabeça;
  • Cansaço excessivo;
  • Hipersensibilidade nos seios;
  • Dor abdominal;

Caso a pílula seja tomada com frequência, os efeitos podem ser mais marcantes, como o desregulamento do período menstrual e aumento de peso, e essas reações podem durar por meses.

De qualquer forma, o médico ginecologista deve ser consultado antes da ingestão da pílula, até mesmo porque em alguns casos o uso não é indicado, como: durante amamentação, na gravidez, em caso de alergia a algum componente da pílula, hipertensas e mulheres que sofrem com problemas cardiovasculares ou de obesidade mórbida.