A mononucleose infecciosa é conhecida como doença do beijo e é causada pelo vírus Epstein-Barr. Esse vírus invade as células que revestem o nariz e a garganta, podendo ser uma infecção assintomática ou apresentar alguns sinais com febre, tosse e dificuldade para engolir.

A doença é transmitida através do beijo ou contato com secreções orais, sendo raramente transmitida pelo contato sexual ou transfusão de sangue. Após ser infectado, leva um período de 30 a 45 dias para apresentar os sintomas e mesmo após o tratamento, o paciente pode contaminar outras pessoa após um ano ou mais.

A infecção pode atingir pessoas de todas as idades e os sintomas são mais comuns entres os adolescentes e adultos, sendo eles:

  • Fadiga;
  • Sensação de mal-estar;
  • Dor de garganta;
  • Inflamação de garganta sem melhorias após uso de antibióticos;
  • Febre;
  • Inchaço dos gânglios linfáticos no pescoço e axilas;
  • Amígdalas inchadas;
  • Dor de cabeça;
  • Erupção cutânea;
  • Baço suavemente inchado.

Não há um tratamento específico para a mononucleose, pois o corpo é capaz de eliminar o vírus, porém o médico poderá receitar alguns medicamentos para aliviar os sintomas e é recomendado que o paciente faça repouso e consuma muitos líquidos para acelerar o processo de recuperação e evitar o surgimento de complicações, como infecções secundárias. Pessoas que já tiveram mononucleose desenvolvem anticorpos, não contraindo novamente a doença.