Aneurisma é a dilatação de uma artéria que irriga o cérebro, formando uma protuberância. Cerca de 5% da população têm algum tipo de aneurisma, mas poucos sentem os sintomas decorrentes do crescimento.

A razão para surgir o aneurisma ainda é desconhecida, mas sabe-se que, na maioria dos casos, é necessário mais de um fator agindo para que seja dilatada a artéria. Os principais fatores de risco são: Tabagismo; Hipertensão; Anormalidades congênitas da parede arterial; Endocardite infecciosa; Histórico familiar; Uso de drogas; Excesso de álcool; Tumores cerebrais; e Trauma cranioencefálico.

Muitos pacientes não apresentam sintomas do aneurisma cerebral e só descobrem que tem quando fazem exames por outros motivos. Mas os sintomas mais comuns são:

  • Visão dupla;
  • Perda da visão;
  • Dor de cabeça;
  • Dor nos olhos;
  • Dor no pescoço;
  • Pescoço rígido;
  • Náuseas e vômitos;
  • Perda de consciência;
  • Confusão mental;
  • Fotofobia;
  • Convulsões.

A grande parte dos aneurismas não se rompem, mas caso haja o rompimento do aneurisma, o paciente sentirá uma dor de cabeça forte e súbita acompanhada de uma confusão mental, fraqueza muscular, enrijecimento de algumas partes do corpo, perda da sensibilidade e até mesmo ter a fala prejudicada.

O tratamento varia de acordo com o tamanho da aneurisma, se for grande é necessária a intervenção cirúrgica, preservando a passagem do sangue pela artéria. No caso de aneurismas menores, deve ser monitorado anualmente com exames de ressonância magnética ou tomografia computadorizada.