Todos sabem que a prática regular de atividade física proporciona diversos benefícios à saúde e ao bem-estar, com os portadores de deficiência não é diferente. Quanto mais exercícios forem praticados, maiores serão os resultados.

Como qualquer pessoa que não tem o hábito de se exercitar, o ideal é começar com 30 minutos de atividade diariamente e ir aumentando gradativamente. O essencial é respeitar as limitações de cada um, adequando as modalidades escolhidas.
Entre os benefícios proporciados ao corpo e ao físico, destaca-se:

- Desenvolvimento da agilidade e equilíbrio;
- Aumento da força muscular;
- Melhoria na coordenação motora;
- Aumento da resistência física;
- Melhoria no funcionamento dos aparelhos circulatório, respiratório, digestório, reprodutor e excretor;
- Prevenção de deficiências secundárias;
- Encorojamento do movimento;
- Desenvolvimento de habilidades funcionais;

Mas as vantagens não são apenas físicas, a atividade proporciona uma melhoria psicológica muito significativa:

- Melhora a auto-estima;
- Aumenta a integração social;
- Reduz a agressividade;
- Estimula a dependência e autonomia;
- Supera limitações;
- Vivência de sucesso e de frustração;
- Desenvolvimento da capacidade de solucionar problemas;

Várias modalidades podem ser adaptadas e praticadas pelos portadores de deficiências, as mais indicadas são:

Judô: Indicado para os portadores de deficiências visuais.
Natação: Voltada para amputados, portadores de paralisia cerebral, deficiências visuais, paraplégicos e outros.
Tiro: Pode ser praticado pelos amputados, portadores de paralisia cerebral e cadeirantes.
Bocha: Indicado para portadores de paralisia cerebral.
Vela: Modalidade voltada para amputados, cadeirantes, portadores de deficiência visual, paralisia cerebral e outros.


É fundamental ter o acompanhamento de um profissional de educação física e respeitar todas as normas de segurança, a fim de evitar novos acidentes e estimular o desenvolvimento e o potencial individual.